Tromboembolismo venoso: como nos prevenir? - REDE MATER DEI DE SAÚDE

Tromboembolismo venoso: como nos prevenir?

Dra. Daniela Pagliari

Diretora técnica da Rede Mater Dei de Saúde


O tromboembolismo venoso é uma doença silenciosa com alta prevalência entre pacientes hospitalizados. Na grande maioria das vezes ela não causa nenhum sintoma e passa despercebida. Quando se manifesta do ponto de vista clínico ela é grave e leva à morte rapidamente.  É a principalmente causa de morte em pacientes hospitalizados e que pode ser prevenida com medidas simples e acessíveis a todos. 

O risco de um paciente que é hospitalizado desenvolver tromboembolismo venoso varia de acordo com as características individuais de cada um, associadas com os motivos da internação e a realização ou não de procedimentos cirúrgicos. Dessa forma, garantir a realização de forma adequada dessa profilaxia é um grande desafio pois pressupõe garantir que cada paciente receba o remédio na dose adequada de acordo com seu risco de desenvolver tromboembolismo durante toda a sua internação hospitalar.

A profilaxia do tromboembolismo venoso pode ser feita com estímulo à deambulação, o uso de medicamento oral, subcutâneo ou com o compressor mecânico pneumático. Para que um paciente esteja protegido, ele deve usar os medicamentos ou receber os compressores pneumáticos ajustados para seu risco em cada dia da internação.

Atualmente a doença afeta 10 milhões de pacientes por ano nos hospitais americanos. Como estratégia de conscientização, foi criado o World Trombosis Day em 2014 pela International Society on Thrombosis and Haemostasis que é celebrado no dia 13 de outubro. O objetivo é incrementar medidas de prevenção, incentivar os sistemas de saúde a criar e fomentar estratégias para garantir as melhores práticas em prevenção, diagnóstico e tratamento dos casos de trombose.

A fim de criar estratégias para prevenir a trombose, a Rede Mater Dei de Saúde conta com um protocolo gerenciado desde 2009. Após várias mudanças e alterações em sistema de gestão, conseguimos informatizar o protocolo e desde 2015 os resultados de adequação da profilaxia foram progressivamente crescendo em um processo de melhoria contínua. Nos pacientes clínicos essa taxa era de 58% em 2015, alcançou 65% em 2016, chegando a 81% em 2017. Já no paciente cirúrgico, era de 68% em 2015, foi de 85% em 2016, estando em 88% atualmente. 

No Brasil, as taxas de adequação em pacientes clínicos giram em torno de 59% e nos cirúrgicos de 46%. Em escala global, esses índices são de 40% e 59% respectivamente (ENDORSE Study Lancet, 2008). 

Ter uma alta taxa de adequação no protocolo de tromboembolismo venoso é um indicador de qualidade assistencial importante. Conseguir monitorar todos os pacientes que permanecem mais de 24h internados para o risco de tromboembolismo e garantir que eles recebam as orientações e tratamentos adequados é fruto de um trabalho árduo de governança clínica. A adesão do corpo clínico é imprescindível para a conquista desse resultado e o apoio da alta direção é fundamental para que isso ocorra.

Para nós da Rede Mater Dei de Saúde, ser o primeiro hospital do Brasil a receber a validação de Boas Práticas para Prevenção de Tromboembolismo Venoso baseada no guia do AHRQ (Agency for Healthcare Research and Quality) pelo Instituto Brasileiro de Segurança do Paciente é motivo de muita celebração, pois é mais uma das evidências de que construímos, diariamente, o nosso compromisso com a qualidade pela vida.

Publicado em: 27/10/2017

Este conteúdo foi útil pra você? Sim Não
Obrigado pelo feedback. Sua opinião nos ajuda a criar um site melhor a cada dia.

Este post é sobre Notícias institucionais

Termos relacionados Tromboembolismo TEV paciente

Posts Relacionados

17 Janeiro 2017

Relato da paciente Laura Henriques

Relato da paciente Laura Henriques
Tópicos relato Paciente
29 Setembro 2016

Mater Dei Santo Agostinho é eleito...

O Mater Dei Santo Agostinho foi eleito na categoria Qualidade e segurança do paciente do IV Prêmio Excelência da Saúde.
30 Julho 2018

​Projeto leva música gratuita e de...

O projeto Música no Hospital tem como objetivo contribuir na recuperação dos pacientes e na humanização do ambiente hospitalar.