Transporte de amostras biológicas para outras clínicas - REDE MATER DEI DE SAÚDE
Sobre o Mater Dei » Fique por dentro » Notícias Institucionais » Transporte de amostras biológicas para outras clínicas

Transporte de amostras biológicas para outras clínicas

Alguns tratamentos de fertlização in vitrogeram um número maior de óvulos/embriões que, posteriormente, são congelados. Eles pertencem aos pacientes que realizaram o procedimento e são mantidos no Centro de Reprodução Humana por tempo indeterminado, desde que solicitado a sua retirada. O paciente tem o direito de transferir seus óvulos/embriões para outra clínica no caso de mudança de interesse. Para isso, deve assinar o termo de consentimento específico e a autorização para a troca de domicílio da guarda do material.

As amostras congeladas são conservadas em container de nitrogênio líquido em uma temperatura de -196°. O transporte deve ser validado e realizado de acordo com as especificações da norma vigente pelo Centro de Reprodução Humana. E o transporte tem que ser feito nas mesmas condições de temperatura.

Os óvulos e embriões criopreservados devem ser acondicionados em reservatórios identificados e com o material refrigerante adequado para a preservação das características e funções biológicas. A irradiação do material é expressamente proibida. No lado externo do recipiente térmico, ou no caso de embalagem externa, deve constar o aviso: “Material biológico humano. Não submeter à radiação (RAIOS X)”. O material transportado deve ser acompanhado de termo de transporte assinado pelo responsável pelo acondicionamento e embalagem, informando o tipo de amostra, data e hora do acondicionamento, serviço de origem e destino e as recomendações complementares.

Todos os registros referentes ao transporte devem ser mantidos durante todo o período de armazenamento do material e por um período mínimo de cinco anos, após a sua utilização terapêutica.

Para maior segurança, um responsável devidamente treinado, faz esse transporte juntamente com o paciente. O transporte das amostras de uma clínica para outra não “danifica” ou “altera” o material, na hora do descongelamento e transferência do embrião transportado.


RESPONSÁVEL:
Moísa Lúcia Pedrosa
Bióloga e Embriologista do Centro de Reprodução Humana Mater Dei


Publicado em: 15/06/2016

Este conteúdo foi útil pra você? Sim Não
Obrigado pelo feedback. Sua opinião nos ajuda a criar um site melhor a cada dia.

Este post é sobre Notícias institucionais

Posts Relacionados

20 Fevereiro 2018

Infertilidade conjugal: quando e o que...

Casais com dificuldade de engravidar devem procurar um especialista depois de passado um ano de relações desprotegidas que não resultaram em gravidez.
28 Setembro 2016

A adenomiose pode causar infertilidade?

A adenomiose é uma doença benigna caracterizada pela presença do tecido menstrual (endométrio) na camada muscular do útero (miométrio).
15 Junho 2016

Transporte de amostras biológicas para...

Alguns tratamentos de fertilização in vitro geram um número maior de óvulos/embriões que, posteriormente, são congelados. Eles pertencem aos pacientes que realizaram o procedimento e são mantidos no Centro de Reprodução Humana por tempo indeterminado, desde...