Dezembro Laranja conscientiza sobre a importância do diagnóstico precoce e tratamento do câncer de pele - REDE MATER DEI DE SAÚDE
Sobre o Mater Dei » Fique por dentro » Notícias Institucionais » Dezembro Laranja conscientiza sobre a importância do diagnóstico precoce e tratamento do câncer de pele

Dezembro Laranja conscientiza sobre a importância do diagnóstico precoce e tratamento do câncer de pele

O câncer de pele é o que acomete mais pessoas em todo mundo, de acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), que apontam que ele corresponde a 27% de todos os tumores malignos no Brasil. Apesar da mortalidade causada pelo câncer de pele não ser alta (principalmente em comparação a outros tipos de câncer), é importante estar atento aos meios de prevenção. A campanha Dezembro Laranja visa conscientizar as pessoas sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce da doença.  
 
A exposição frequente e prolongada ao sol é o principal causador do câncer de pele, pois deixa a pele exposta à radiação solar. O sol nos horários certos é muito importante para a captação de vitamina D e para o humor, no entanto, é preciso evitar a exposição nos horários entre 9h e 16h, pois a radiação solar é maior. Este tipo de câncer, que é mais comum a partir dos 40 anos de idade, tem para além do sol outros fatores de risco como: tratamento com imunossupressores, albinismo, olhos e pele clara, vitiligo e histórico familiar da doença.   
 
A principal forma de prevenção é muito simples: usar protetor solar com fator de proteção a partir de 30 fps. O uso deve ser diário, mesmo em dias nublados em que também há radiação solar, por mais que não pareça. Outro lembrete importante é passar o filtro solar em áreas frequentemente esquecidas como orelhas, pescoço e a parte superior dos pés. Além dessas, há ainda outras ações de prevenção:


 

  • Não se expor ao sol nos horários de alta radiação por longos períodos;


 
  • Em ambientes externos procurar locais com sombra;


 
  • Ficar atento às tatuagens, pois podem esconder lesões;


 
  • Evitar bronzeamentos artificiais;


 
  • Reaplicar o filtro solar sempre que necessário, como após ter grande transpiração ou  contato com água, por exemplo;


 
  • Usar proteção ao se expor ao sol por períodos longos como chapéus e bonés de aba larga, óculos escuros com proteção UV, calça e camisas de manga longa.
 
Conjuntamente às medidas de prevenção é necessário estar atento a sinais que podem indicar o câncer de pele como:  feridas que não cicatrizam, manchas e pintas que sangram, mudam de cor, tamanho e forma.
 
Melanoma 
 
Diferente do câncer de pele não melanoma que, apesar de acometer um maior número de pessoas, é menos agressivo e de baixa mortalidade, o melanoma é a forma mais agressiva do tumor. Ele pode surgir em qualquer parte do corpo, na pele e mucosas, além de ocasionar metástase. Caso não seja diagnosticado e tratado precocemente, por ser um tipo mais agressivo, pode levar à morte.
 
O cirurgião oncológico da Rede Mater Dei de Saúde, Milhem Kansaon, esclarece que é possível identificar o câncer de pele melanoma observando o surgimento de manchas e pintas com características assimétricas, bordas irregulares, cor diferente (diferenças de tonalidade em uma mancha e/ou pinta da borda ao centro, por exemplo), diâmetro (acima de 6mm) e evolução (crescimento em um pequeno espaço de tempo). 
    
Diagnóstico e tratamento
 
Caso identifique algum dos sinais de câncer de pele, faça um acompanhamento com dermatologista para análise especializada e diagnóstico. Em alguns casos podem ser necessários exames clínicos, laboratoriais e radiológicos mais precisos e até mesmo biópsia.
 
“O principal tratamento para o câncer de pele hoje ainda é a cirurgia. Fazemos a retirada das lesões com a reconstrução. Muitas vezes diante de uma complexidade se tem o aparato da multidisciplinaridade que aqui na Rede Mater Dei é muito usada. Em alguns casos eu resseco a lesão, convido um cirurgião plástico para participar, para que haja uma  qualidade estética máxima possível”, relata Milhem.
 
Segundo o INCA, apesar da cirurgia ser o principal tratamento, dependendo do estágio da doença outros recursos podem ser utilizados como quimioterapia, radioterapia e, em casos de metástase, o uso de novos medicamentos. 
 
Na Rede Mater Dei de Saúde há atendimento multidisciplinar e especializado para pacientes oncológicos através dos serviços oferecidos pelo HIC (Hospital Integrado do Câncer). O Hospital oferece em um só espaço desde o diagnóstico até tratamento, com equipes treinadas que prestam atendimento humanizado, estrutura física e tecnologia moderna que, juntos, trazem a melhor experiência ao paciente durante o tratamento. 
 
O Hospital Integrado do Câncer fica localizado na unidade Mater Dei Contorno. Para agendamentos e dúvidas entre em contato através do site www.materdei.com.br ou pelo número (31) 3401-7490. 
 
Além do Hospital Integrado do Câncer, a Rede Mater Dei de Saúde também conta com um ambulatório para consultas especializadas na unidade Betim-Contagem. Para agendamentos e maiores informações entre em contato pelo número (31) 3339-9800. 
 

 

Publicado em: 28/12/2020

Este conteúdo foi útil pra você? Sim Não
Obrigado pelo feedback. Sua opinião nos ajuda a criar um site melhor a cada dia.

Este post é sobre Notícias institucionais

Termos relacionados dezembro laranja mater dei melanoma

Posts Relacionados

27 Setembro 2021

Rede Mater Dei investe em tecnologia...

A Rede Mater Dei de Saúde anunciou hoje a aquisição de 50,1% do capital social da A3Data, uma empresa especializada em dados e inteligência artificial, com foco na transformação cultural e analítica de empresas. Com métodos próprios consolidados e visão de...
22 Outubro 2021

Premiada na categoria enfermagem, Rede...

Na edição de 2021 o evento congratulou 39 instituições de saúde, dentre elas operadoras de saúde, hospitais e grupos empresariais em diversas categorias. Anunciamos com grande satisfação que a Rede Mater Dei de Saúde foi ganhadora na categoria enfermagem.
27 Setembro 2019

Endoscopista do Mater Dei ministra...

Vitor Arantes ministrou palestras sobre “Técnicas de Ressecção Endoscópica no Cólon e Reto”, “Reflexões sobre as ferramentas educacionais dos cursos ao vivo” e “Ressecção endoscópica no câncer de esôfago”