Médicos do Mater alertam sobre o consumo de sal e sódio nos alimentos - REDE MATER DEI DE SAÚDE
Cuidados com a Saúde » Qualidade de Vida » Médicos do Mater alertam sobre o consumo de sal e sódio nos alimentos

Médicos do Mater alertam sobre o consumo de sal e sódio nos alimentos

Menos Pressão, este é o tema da campanha da Sociedade Brasileira de Hipertensão - SBH para o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial, 26.04.16. O objetivo é conscientizar a população brasileira sobre a importância de se prevenir e combater a hipertensão arterial, que já acomete 30% da população adulta do país. A campanha busca também demonstrar qual a influência da pressão arterial na qualidade de vida das pessoas e o que elas ganham adotando hábitos de vida mais saudáveis, como uma alimentação balanceada e a prática de exercícios físicos.

De acordo com o médico e coordenador da equipe de cardiologia da Rede Mater Dei de Saúde, Henrique Patrus, o consumo reduzido do sal é importante não apenas para aquelas pessoas que já são hipertensas. “Manter o saleiro o mais longe possível da mesa é importante para manter a qualidade de vida de toda a família. Essa simples mudança de hábito pode reduzir as chances de desenvolver hipertensão e até doenças cardiovasculares”.

O sódio é um mineral que está presente não somente no sal de cozinha, mas também em refrigerantes, queijos, manteiga, pães, leite, carnes, adoçantes, produtos defumados, entre inúmeros outros. Saber identificar quais os produtos contêm o componente não é tão fácil para os consumidores. O coordenador da equipe de clínica médica da Rede Mater Dei de Saúde, Andres De La Flor, explica que a denominação técnica de sal é sódio e, por isso, não é tão fácil identificá-lo nas embalagens dos produtos e que no rótulo dos alimentos o sal pode aparecer como ciclamato de sódio, cloreto de sódio, glutamato de sódio, etc. O gosto do sal pode estar camuflado em outros compostos químicos que não reforçam o sabor, esse é um dos princípios dos conservantes: não alterar o sabor dos alimentos.

Para não errar na hora de comprar os alimentos, existem alguns artifícios para evitar voltar para casa com a sacola lotada de comidas cheias de sal.

O excesso do consumo de sal é tão sério que existe uma recomendação do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa para a indústria alimentícia que prevê a redução do sódio em vários alimentos. Os brasileiros, assim como toda a população mundial, estão sendo estimulados a se adaptar a uma dieta com quantidade mínima de sódio.

Segundo a Organização Mundial de Saúde - OMS, o consumo ideal é de no máximo 5g de sal por dia, que equivale a ½ colher pequena (de café). Conforme dados do Ministério da Saúde, os brasileiros consomem em média mais que o dobro da quantidade recomendada. De acordo com Andrés, além da diminuição do consumo de sal é recomendado evitar alimentos com conservantes. “No início isso parece difícil, pois o paladar está adaptado, mas com persistência as pessoas se acostumam com o novo sabor dos alimentos”, pontua De La Flor.

“Priorizar sempre alimentos frescos e naturais, como frutas, legumes e verduras é a primeira dica valiosa. Gorduras de origem animal devem ser evitadas e, para substituí-las, o consumo de óleos vegetais é recomendado”, indica o cardiologista Henrique Patrus. Você é daquelas pessoas que acha que comida de sal não tem gosto? O médico recomenda “experimentar temperos naturais como cebola, alho e cheiro verde. E claro, fique longe das frituras e dos alimentos e embutidos, eles estão sempre carregados de muito sódio”, finaliza. 


RESPONSÁVEL:
Andrés De La Flor
Coordenador da equipe de clínica médica da Rede Mater Dei de Saúde
CRM-MG: 31837
 


Publicado em: 09/08/2016

Este conteúdo foi útil pra você? Sim Não
Obrigado pelo feedback. Sua opinião nos ajuda a criar um site melhor a cada dia.

Este post é sobre Boa forma

Termos relacionados hipertensão cardiologia Mais Saúde

Posts Relacionados

14 Novembro 2019

Discurso de posse Dr. Henrique Patrus

Discurso proferido pelo Dr. Henrique Patrus Mundim Pena na cerimônia de posse como Presidente da Sociedade Mineira de Cardiologia, biênio 2020-2021, no auditório do Conselho Regional de Medicina, em Belo Horizonte, no dia 08 de novembro de 2019
12 Junho 2018

Você sabia? Crianças também têm...

As consequências da cardiopatia congênita são diversas e heterogêneas, dependem do tipo de má formação. Quando não é corrigida, pode evoluir para dilatação e fraqueza do coração, arritmias cardíacas e problemas pulmonares irreversíveis.
01 Outubro 2016

Para envelhecer bem: Mater Dei oferece...

Dificuldades para se locomover, perda do equilíbrio, doenças que afetam o físico e o emocional: o envelhecimento traz diversas limitações para o idoso e seus familiares.