Prrevenção e combate ao colesterol alto - REDE MATER DEI DE SAÚDE
Cuidados com a Saúde » Prevenção e Cuidados » Dicas Mater Dei de prevenção e combate ao colesterol alto

Dicas Mater Dei de prevenção e combate ao colesterol alto

Cerca de 90% das pessoas que possuem doença coronariana, como infarto ou angina de peito, apresentam um ou mais fatores de risco que podem ser modificados, dentre eles o colesterol alto. No Dia Nacional do Combate ao Colesterol, 08.08, a Rede Mater Dei de Saúde busca conscientizar a todos sobre a importância de inserir hábitos saudáveis no dia a dia.
 
“Muito se fala de colesterol bom e ruim, mas pouco se explica sobre o real significado. O colesterol é uma substância gordurosa presente em todas as células do corpo, sendo essencial para a formação das membranas das células, para a síntese de hormônios como testosterona, estrogênio, cortisol e outros, para a produção da bile, digestão de alimentos gordurosos, formação da mielina (uma bainha que cobre os nervos) e metabolização de algumas vitaminas (A, D, E e K), dentre outros”, explica o médico cardiologista da Rede Mater Dei de Saúde, Marco Paulo Tomaz Barbosa.
 
De acordo com médico, “o excesso de colesterol no sangue pode formar placas de gorduras na parede das artérias e dificultar o fluxo sanguíneo ou, até mesmo, obstruir essa passagem podendo ocasionar o infarto, angina, obstrução também nas artérias das pernas e derrame”. Marco Paulo também conta que o colesterol tem duas origens: a endógena, produzido pelo próprio corpo, principalmente, pelo fígado e a exógena, que pode ser adquirido por meio dos alimentos.
 
O colesterol pode ser ‘bom’, o HDL, ou ‘ruim’, LDL. “Cerca de um terço a um quarto do colesterol é transportado por lipoproteínas de alta densidade HDL (high density lipoprotein). Concentrações elevadas de HDL, aparentemente, protegem contra o infarto do miocárdio e as baixas, inferiores a 40 mg/dl, aumentam o risco de doença cardiovascular. Acredita-se que o HDL remova o excesso de colesterol da placa aterosclerótica, retardando ou inibindo a sua formação, além de transportar o colesterol de volta para o fígado, onde é novamente metabolizado. A elevação das concentrações do HDL é alcançada com exercícios, ausência do fumo e peso adequado. Há, ainda, evidências de que o álcool, em pequenas quantidades, promova discreta elevação da concentração de HDL”, conta o médico. Sobre o colesterol ruim, Marco Paulo explica que as “concentrações de LDL (low density lipoprotein) abaixo de 100 mg/dl são considerados ótimos; menos de 130 mg/dl são quase ótimos para a maior parte das pessoas; níveis elevados, mais de 160 mg/dl, são indicativos de um risco aumentado de doença cardíaca. Consideram-se elevados níveis de LDL, acima de 130 mg/dl, se possuir dois ou mais fatores de risco para doença cardiovascular, Quanto maior o risco de um evento cardíaco, mais baixos devem ser os níveis de LDL”.
 
O cardiologista do Mater Dei relacionou dicas de prevenção e combate ao colesterol alto. Confira:
 
Diagnóstico:
Colesterol alto é uma doença silenciosa e o diagnóstico ocorre somente por exames de sangue que deveser realizado com pedido médico. Outra forma de manifestação da doença é a chamadaHipercolesterolemia Familiar (HF), um distúrbio herdado de parentes de 1º grau (pai, mãe, irmãos e avós) e apesar de não ser uma doença rara, dificilmente diagnosticada e o acompanhamento médico é fundamental. Faça exames regularmente! A Rede Mater Dei de Saúde disponibiliza vários tipos de check-up para o cuidado da sua saúde. Agende pelo telefone: 31.3339-9563/9571. Além disso, o Mais Saúde Mater Dei conta com cardiologistas de diversas especialidades e o Serviço de cardiologia do esporte. Para marcar uma consulta, ligue 31.3339-9595.
 
Fatores de risco: são hábitos como fumar, estar acima do peso, ser diabético, ter o colesterol alto que aumentam a possibilidade de angina ou infarto. Os principais fatores de risco que podemos modificar ou controlar são tabagismo (hábito de fumar), obesidade (excesso de peso), sedentarismo (falta de atividade física), dieta aterogênica (alimentação rica em gorduras), dislipidemia (altas taxas de gordura, como colesterol e triglicérides, no sangue), hipertensão arterial (pressão alta) e diabetes Mellitus (alta taxa de açúcar no sangue)
 
Como prevenir e tratar o colesterol alto:
Alimentação saudável, exercício físico regular e medicamentos (prescritos por médicos). Uma alimentação balanceada, rica em legumes, frutas e verduras, contribui para a perda/manutenção do peso e para redução/controle das taxas de gordura e açúcar no sangue, além de controlar, também, a pressão. Reduza a quantidade de gordura, óleo e sal (sódio), use no máximo uma colher de café por dia no preparo dos alimentos; evite temperos prontos, como os caldos de carne; prepare temperos caseiros com alho e ervas, sem adicionar sal; remova a gordura visível das carnes; antes de preparar aves retire a pele, porque ela faz aumentar o teor de colesterol do alimento. Retire o saleiro da mesa. Evite, ainda, o consumo excessivo de produtos industrializados, como embutidos, (mortadela, presunto, salsicha), defumados, enlatados, molhos, sopas, sorvetes, refrigerantes e massas prontas.
 
Pare de fumar!
A fumaça do cigarro, além de agredir o pulmão, causa lesão nas artérias de todo o corpo de quem fuma e ainda prejudica as pessoas que estão por perto. A nicotina aumenta a pressão arterial e a frequência cardíaca, o que colabora para aumentar as lesões nas artérias e o trabalho do coração.
 
Faça substituições:
Troque o óleo de soja pelo de canola, milho, soja, girassol ou azeite; utilize leite e derivados desnatados no lugar dos integrais; lembre-se de que o sal é utilizado também como conservante e, por isso, pode ser encontrado em alimentos doces, portanto leia o rótulo dos alimentos para saber a quantidade de sal que está consumindo, o ideal são 3 gramas (3g) ou 3000 miligramas (3000mg) no máximo, por dia.
 
Alimentos de consumo livre: alface, acelga, agrião, broto de feijão, repolho, palmito, abobrinha, aipo, chicória, coentro, cebola, cebolinha, salsa, espinafre, hortelã, jiló, couve, couve-flor, pimentão, pepino, rabanete, tomate, maxixe, limão, mostarda, alho, chás como erva-doce, hortelã, capim-santo, camomila.
 
Alimentos de consumo controlado: arroz, macarrão, farinhas, batata-baroa batata-doce, cará, inhame, mandioca, pão, pão integral, torradas, biscoito de sal, cuscuz, pipoca, canjica, pamonha, tapioca (beiju), feijão, ervilha, lentilha, grão-de-bico, soja. Abóbora, cenoura, chuchu, quiabo, vagem, beterraba. Frango, miúdos, ovos, carne bovina e peixes. Leite, queijos, iogurtes, requeijão. Alimentos industrializados. Óleo, margarina, manteiga e azeite.
 
Alimentos de consumo restrito: açúcar, rapadura, mel/melado, doces em geral, caldo de cana, balas, bolos, chocolates, refrigerantes, sorvetes, bebidas alcoólicas e pães doces.


RESPONSÁVEL:
Marco Paulo Tomaz Barbosa
Cardiologista
CRM-MG: 41580


Publicado em: 08/08/2016

Este conteúdo foi útil pra você? Sim Não
Obrigado pelo feedback. Sua opinião nos ajuda a criar um site melhor a cada dia.

Este post é sobre Dicas

Termos relacionados colesterol Mias Saúde Cardiologia

Posts Relacionados

12 Agosto 2016

Heart team do Mater Dei: a melhor...

Inaugurado na década de 80, o Heart team (time do coração) da Rede Mater Dei de Saúde é uma equipe multidisciplinar envolvida na decisão sobre o melhor tratamento a ser oferecido ao paciente, utilizando-se de todo conhecimento científico disponível.
15 Setembro 2017

Cardiologia da Rede Mater Dei de...

Dia 29 de setembro, é celebrado o Dia Mundial do Coração. A data foi instituída pela Organização Mundial da Saúde - OMS para conscientizar sobre as doenças cardíacas, principal causa de mortes em todo o mundo.
26 Abril 2017

Controle da pressão arterial

Quando se fala em hipertensão arterial o primeiro vilão citado é o sal. Reduzir o consumo de sal é importante, mas não apenas como uma medida isolada.