Combate ao câncer infantojuvenil - REDE MATER DEI DE SAÚDE

Combate ao câncer infantojuvenil

Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), atualmente estima-se que, em média, 70% das crianças atingidas pelo câncer podem ser curadas. Para isso, especialistas afirmam que a definição de um diagnóstico precoce é imprescindível.  Com esse objetivo, a Rede Mater Dei de Saúde coloca à disposição da comunidade um Centro de Oncologia, cuja equipe de profissionais está preparada para realizar com agilidade, qualidade e precisão do diagnóstico, o tratamento e todo o acompanhamento desses pacientes.

Segundo o oncologista pediátrico, Eduardo Ribeiro Lima, a comunicação do diagnóstico do câncer infantil à família é difícil e também uma das etapas mais delicadas de todo o processo.  O médico chama atenção para a necessidade de transmitir as informações referentes ao diagnóstico de maneira segura e verdadeira para a família e, principalmente, para o paciente. Procurar usar uma linguagem clara que consiga informar, sem assustar também é essencial.

A Rede Mater Dei de Saúde tem uma preocupação especial com essa parte do processo. “A comunicação é feita pela equipe de oncologia pediátrica, mas o acompanhamento completo é realizado por uma equipe multidisciplinar. Contamos com a ajuda de outros médicos especialistas, parceiros da enfermagem e psicologia”, explica Eduardo. O médico ainda completa dizendo que o intuito do Mater Dei é unir profissionais de diferentes áreas para levar conforto e segurança para o paciente e seus familiares.

Pensando na melhoria do atendimento, foi inaugurado em julho deste ano o Pronto-socorro Oncológico da Rede. Nele, os profissionais, além de estarem preparados para atender qualquer paciente oncológico, também são treinados para prestar o primeiro atendimento também para o paciente pediátrico, que também são avaliados em conjunto com os pediatras de plantão.

Segundo o médico, os tipos de câncer mais comuns em crianças e adolescentes são muito diferentes que os de adulto. “Normalmente, eles têm origem e comportamento distintos, muitas vezes demonstrando maior agressividade ao diagnóstico, mas com boa resposta ao tratamento”, ressalta. Por esse motivo, o especialista reforça a necessidade de que os pacientes infantojuvenis sejam acompanhados por oncologistas pediátricos e por uma equipe multidisciplinar capacitada neste tipo de casos.

Outra iniciativa da Rede que visa o bem-estar dos pacientes oncológicos é a melhoria do ambulatório que se localiza no quarto andar do Mater Dei Contorno.  “Pretendemos ter ali uma equipe multidisciplinar, capacitada em atender os diversos tipos de câncer em crianças e adolescentes”, afirma o especialista.


RESPONSÁVEL:
Eduardo Ribeiro Lima
Oncologista pediátrico
CRM-MG: 33088


Publicado em: 02/09/2016

Este conteúdo foi útil pra você? Sim Não
Obrigado pelo feedback. Sua opinião nos ajuda a criar um site melhor a cada dia.

Este post é sobre Cuidados com o bebê

Posts Relacionados

16 Dezembro 2016

Preservação da fertilidade e câncer...

A incidência do câncer de mama aumenta com a idade e acomete a maioria das mulheres na pós-menopausa. Estima-se que 15 a 25% dos casos surgem na pré-menopausa, cerca de 7% abaixo dos 40 anos e que uma parcela significativa terá a doença durante o ciclo...
27 Janeiro 2020

Felicidade do fim do ciclo de...

O fim de um ciclo sempre abre espaço para um novo, cheio de novidades e coisas boas, e essa é a esperança do Jonnathan de Souza, que encerrou o seu 12º e último ciclo de quimioterapia no Hospital Integrado do Câncer, no Mater Dei Betim-Contagem
03 Novembro 2016

Câncer de Próstata: quando mais...

No Brasil, a estimativa é que ocorrerão 69 mil novos casos de câncer de próstata com, aproximadamente, oito mil novos casos em Minas Gerais, sendo 1.180 em Belo Horizonte.