Cirurgias para tratamento da obesidade - REDE MATER DEI DE SAÚDE

Cirurgias para tratamento da obesidade

O dia 11 de outubro ficou instituído no Brasil, desde 2008, como o Dia Nacional de Prevenção da Obesidade. Com o objetivo de abordar o assunto em uma escala maior, em 2015, a World Obesity Federation - IASO, adotou a data oficialmente para alertar sobre o tema, estabelecendo o Dia Mundial de Combate à Obesidade. A Organização Mundial de Saúde - OMS aponta que, atualmente, a obesidade está entre os maiores problemas de saúde pública no mundo. Se ações não forem feitas para alterar esse quadro, a estimativa da associação brasileira para o estudo da obesidade e da síndrome metabólica - Abeso é que, em 2025, cerca de 2,3 bilhões de adultos estejam com sobrepeso e mais de 700 milhões estejam obesos. O Brasil é o segundo país em volume de cirurgia bariátrica no mundo, o primeiro, os Estados Unidos, o que mostra a importância da cirurgia bariátrica no combate à obesidade.

Com uma equipe de cirurgia com larga experiência, há 21 anos, a Rede Mater Dei de Saúde realiza cirurgias para tratamento de obesidade. A intervenção para redução do estômago que pode ser realizada por meio de diferentes técnicas. "São 21 anos realizando a cirurgia bariátrica, atualmente, com uma média de 180 pacientes por mês. Um trabalho que é feito por uma equipe unida, que reflete em um resultado cada vez melhor", fala o cirurgião e coordenador da cirurgia geral da Rede, Marcus Martins da Costa.

No Mater Dei, o paciente tem acesso ao tratamento clínico ou cirúrgico completo, com cirurgiões e anestesistas altamente capacitados, e um bloco cirúrgico preparado com equipamentos de última geração para cirurgia vídeo laparoscópica, salas inteligentes para que os procedimentos sejam feitos com a maior precisão possível, para atender às necessidades específicas de cada paciente. "Hoje, temos a personalização do paciente. São exames e formas de tratamento diferente para cada pessoa, cabendo ao médico a escolha da melhor opção para ele", explica o cirurgião.

Técnicas mais utilizadas
O médico conta que atualmente, as duas técnicas mais utilizadas são a Gastrectomia vertical (Sleeve) e o Desvio Gástrico em Y de Roux (By pass gástrico), todas realizadas por videolaparoscopia, método menos invasivo e mais confortável ao paciente. "A técnicas estão cada vez mais avançadas. Hoje, uma cirurgia de vesícula biliar e uma cirurgia bariátrica têm o mesmo risco, desde que realizadas em centro de referencia com toda a tecnologia disponível", explica o cirurgião.

Avaliação/Indicação para cirurgia bariátrica
De acordo com Marcus, a cirurgia bariátrica, independentemente da técnica utilizada, é indicada para pacientes com obesidade mórbida ou obesidade grau III (IMC maior ou igual a 40,0) que não apresentam possibilidade para tratamento clínico. Também, é indicada para pacientes com obesidade moderada ou grau II (IMC entre 35,0 e 39,9) que apresentam outras doenças, como Diabetes Mellitus tipo II, hipertensão arterial sistêmica e doenças ortopédicas que limitam a movimentação. Porém, o médico defende que "existem outras patologias que, quando associadas à obesidade moderada, podem ser indicativas para a necessidade da cirurgia bariátrica. Por isso, a avaliação criteriosa de um especialista é imprescindível".

"Atualmente, há uma indicação muito grande da cirurgia bariátrica em obesos com diabetes. Esses paciente têm risco aumentado, por isso este são mais estudados no pré-operatório. Além de serem pacientes que continuarão com o controle endocrinológico, para redução gradual da medicação, que em alguns casos pode pode ser imediata ou pode levar até seis meses", esclarece o cirurgião. Ele acrescenta que a pessoa que passa pela cirurgia bariátrica é um paciente que deve manter um acompanhamento médico, de preferencia por toda a vida. O médico tem que dar segmento no atendimento pós-cirurgia, ele é o responsável pelo seu paciente".

A cirurgia pode ser contraindicada nos casos de: abuso de drogas ilícitas, abuso de álcool e condições psicopatológicas graves.

Exames inicias: ultrassom, endoscopia, exames laboratoriais, dentre os vários exames para avaliar o estado cardiovascular do paciente, além de avaliações de um endocrinologista, psiquiatra, psicólogo e nutricionista.

Acompanhamento clínico pré e pós-operatório é importante
O médico ainda chama atenção para o fato de a cirurgia ser apenas uma parte do processo que envolve a perda de peso. "É muito importante que seja feito um acompanhamento pré e pós-operatório, exames periódicos de rotina, orientação nutricional periódica com suplementação de vitaminas durante o primeiro ano de pós-operatório. Pacientes bem acompanhados no pós-operatório tem chances em torno de 90% de manter um peso saudável", afirma Marcus Martins.

O Mais Saúde Mater Dei oferece atendimento direcionado aos pacientes que desejam fazer a cirurgia bariátrica, facilitando, ainda, a marcação de exames e cirurgias. Para agendar uma avaliação, ligue (31) 3339-9595.


RESPONSÁVEL:
Marcus Martins da Costa
Cirurgião e Coordenador da cirurgia geral da Rede Mater Dei de Saúde
CRM-MG: 18696

 



Publicado em: 11/10/2016

Este conteúdo foi útil pra você? Sim Não
Obrigado pelo feedback. Sua opinião nos ajuda a criar um site melhor a cada dia.

Este post é sobre Atividade física

Posts Relacionados

30 Novembro 2017

Avanços na medicina para o combate ao...

O Câncer de Próstata, atualmente, representa a segunda causa de morte por câncer entre homens no Brasil, sendo cerca de 61 mil novos casos em 2017.
14 Março 2017

Estágio para acadêmicos de Medicina...

As inscrições para o Processo Seletivo de Estágio “Não obrigatório” para acadêmicos de medicina estão encerradas.
29 Julho 2019

Aprovados para a 2ª etapa - Estágio...

Confira a relação dos candidatos classificados para a entrevista que corresponde à segunda etapa do Processo Seletivo de Estágio “Não obrigatório” para acadêmicos de medicina