O tempo de vida fértil da mulher - REDE MATER DEI DE SAÚDE

O tempo de vida fértil da mulher

As mulheres possuem um número não renovável de óvulos (folículos) em seus ovários que, com o passar do tempo, reduz gradativamente em questão de quantidade e qualidade até a ocorrência da menopausa. Essa redução se acentua particularmente após os 35 anos com consequente declínio natural das chances de gravidez. 

A quantidade de folículos que há no ovário, em determinado momento, é denominada de reserva ovariana e seu conhecimento é importante para avaliar a possível chance de sucesso em tratamentos de reprodução assistida (inseminação ou fertilização in vitro). Dessa forma, o sucesso do procedimento depende, até certo ponto, da reserva ovariana da mulher que, por sua vez, piora com o aumento da idade.

Porém, a avaliação da reserva ovariana não é fácil visto que os exames disponíveis (dosagens hormonais de FSH, hormônio Anti-Mulleriano – AMH e contagem de folículos à ultrassonografia) não apresentam resultados 100% seguros. “Os exames devem ser avaliados por um especialista em reprodução humana que associará outros fatores, como idade e tempo de infertilidade, aos resultados. Muitas vezes um exame alterado não é capaz de fechar o prognóstico por si só”, explica Márcia Mendonça, ginecologista do Centro de Reprodução Humana Mater Dei.

O Hormônio Anti-Mulleriano (AMH) é hoje o melhor marcador da reserva ovariana, ou seja, é capaz determinar indiretamente qual a quantidade de óvulos que a mulher dispõe em seus ovários. Entretanto, o exame apresenta falhas e sua interpretação depende do resultado de outros fatores. Estudos recentes avaliaram o possível papel do AMH na predição da idade da menopausa e identificação de tempo útil de vida fértil das mulheres. Porém, os resultados dos estudos apontaram que o AMH não é capaz de predizer com precisão a idade da menopausa. Sendo assim, a partir dos recursos que a medicina dispõe atualmente, não é possível estipular com segurança o tempo de vida fértil da mulher.


RESPONSÁVEL:
Márcia Mendonça Carneiro
Ginecologista do Centro de Reprodução Humana Mater Dei 
CRM-MG:27578


Publicado em: 20/12/2017

Este conteúdo foi útil pra você? Sim Não
Obrigado pelo feedback. Sua opinião nos ajuda a criar um site melhor a cada dia.

Este post é sobre Atividade física

Posts Relacionados

22 Fevereiro 2016

Novas tecnologias: o uso a favor da...

Equipamentos e técnicas vêm surgindo para que, cada dia mais, aumente as chances das pessoas terem um filho. O Centro de Reprodução Humana está apto a oferecer todo suporte tecnológico com segurança e qualidade.
09 Agosto 2016

Reprodução Humana e a Oncofertilidade

A preservação da fertilidade em homens e mulheres é algo muito importante que deve ser, adequadamente, abordado pelos médicos especialistas e discutido com o paciente sobre suas possibilidades e também seus riscos
20 Fevereiro 2018

Infertilidade conjugal: quando e o que...

Casais com dificuldade de engravidar devem procurar um especialista depois de passado um ano de relações desprotegidas que não resultaram em gravidez.