Dúvidas sobre Amamentação - #MaterDeiResponde - REDE MATER DEI DE SAÚDE

Dúvidas sobre Amamentação


Em mais uma campanha para tirar as dúvidas dos seus clientes, a Rede Mater Dei de Saúde sugeriu que nossos seguidores do Instagram enviassem os seus questionamentos para serem respondidos pelos nossos profissionais.

A última ação foi focada na Amamentação, e as dúvidas sobre o período de amamentação, a quantidade de leite necessária, os principais cuidados e a importância do aleitamento materno foram respondidas pelo Dr. Paulo Poggiali, coordenador do Serviço de Neonatologia da Rede Mater Dei de Saúde.
 
Confira as perguntas e respostas:
 

No Mater Dei, as crianças são estimuladas a mamar o colostro na primeira hora de vida?

No Mater Dei nós temos um indicador de qualidade que é a taxa de aleitamento materno de amamentação na primeira hora de vida. A mamada na primeira hora de vida é essencial para todos os bebês. Por isso existe a preocupação de que o bebê tenha a oportunidade de ir ao peito da mãe na sala de parto, ou em casos de cesariana, por exemplo, na sala de observação. Esse é um momento essencial que protege o bebê, já que previne, por exemplo, baixas de glicose no recém-nascido e também protege a mãe, porque estimula o retorno do útero materno às condições anteriores da gravidez diminuindo, inclusive, o sangramento pós parto.
 

Existe algum remédio para induzir o leite materno quando ele seca?

Existem remédios que estimulam a produção do leite materno, mas eles não devem ser usados sem prescrição médica. É melhor que se tente outras maneiras de estimular a lactação e  não o uso de medicamentos. Por isso, a orientação médica é essencial.
 

Como manter a produção de leite após retorno ao trabalho? Ordenhar quantas vezes?

É natural que haja uma redução progressiva na produção de leite mês a mês. Após seis meses do nascimento do bebê, a mãe não estará produzindo tanto leite quanto no primeiro mês, até porque o  bebê, depois do sexto mês de vida, não precisará mamar de 3 em 3 horas. Vai mamar de manhã, talvez alguma vez depois do almoço e a noite. Dependendo da faixa etária, já receberá outro tipo de alimentação, talvez já comendo frutas, almoçando, jantando, o que vai facilitar muito a interação entre o trabalho da mãe e o cuidado com o bebê. Isso vai ser um facilitador para a mãe, que não vai precisar estar no trabalho retirando leite para aliviar um desconforto.
 

Quando a mulher tem uma gestação próxima da outra, continua produzindo leite?

Não há influência na redução do leite quando a mãe engravida e tem um bebê pequeno que ainda está mamando no peito. A amamentação pode seguir naturalmente, seguindo orientação do obstetra e, se houver alguma particularidade de uma determinada mãe, o médico irá orientá-la. 
 

Fiz redução de mamas. Vou conseguir amamentar?

As cirurgias que reduzem a mama podem interferir à medida em que uma quantidade maior ou menor de glândula mamária for extraída no processo de redução. Um comentário que considero muito importante: os benefícios de mamar no peito vão muito além da questão nutricional, do volume de leite. O bebê tem benefícios enormes com a amamentação, um pouquinho de leite já traz muito anticorpo para proteção. Sugar no peito nos primeiros 6 meses de vida estimula um desenvolvimento adequado dos ossos da face, do crescimento da mandíbula, do queixo do bebê, do posicionamento do céu da boca do bebê, para que não fique um céu da boca ogival. Existe ainda a questão afetiva, o vínculo do bebê com a mãe. Mamar no peito, independe de volume de leite. Por isso, sugiro que a mãe que se submeteu a cirurgias mamária redutoras, ou cirurgias na adolescência 15/16 anos, que vão engravidar anos depois, que não se preocupem com questão de volume de leite. E que sigam para o hospital com a intenção de ganhar o seu neném e colocar para mamar. É claro que naqueles casos que forem necessários, serão feitos complementações com fórmulas adequadas.
 

Prótese de silicone no período de amamentação traz algum problema?

A mastopexia, que é o ato de levantar a mama por razão estética ou a colocação de prótese de silicone para aumentar o volume de mama, habitualmente não interferem na amamentação. As mães que foram submetidas a essas duas últimas cirurgias seguramente vão amamentar sem problemas.
 

Pode mamar até 2 ou 3 anos que o leite materno é rico em nutrientes do mesmo jeito que o começo? 

A criança que segue amamentando após o primeiro ano, até os dois, três anos de vida recebe, ainda, um leite de excelente valor nutritivo, de qualidade e protetor sob todos os aspectos. É claro que, nessa faixa etária, não vai mamar sob livre demanda, não é uma criança de dois anos que vai definir que horas será amamentada. A mãe que amamenta uma criança de dois anos vai dar o peito na hora que essa criança deve tomar leite, como de manhã, de noite para dormir, duas vezes ao dia é uma oferta muito boa. Não há necessidade de trocar o leite só porque a criança tem dois anos. Se a mãe está feliz com a amamentação e o bebê, acompanhado pelo pediatra que está percebendo um desenvolvimento adequado do peso, da estatura, das condições gerais da criança, é só amamentar com esses cuidados. 
 

O leite dura 12 ou 24 horas na geladeira?

O leite pode ser conservado  na  geladeira por no máximo 24h, desde que esteja a uma temperatura inferior a 4º C. Depois desse tempo, tem que ser desprezado. Já o leite congelado, no congelador comum, pode ficar com muita segurança 15 dias e vai manter todas as características.
 

Dicas para cuidar do peito ainda na gestação

Para as mães que terão o seu primeiro filho e nunca amamentaram, ou aquelas que não tiveram uma experiência muito feliz com a amamentação e querem, no segundo ou terceiro filho, ter uma experiência melhor, recomendamos que o cuidado com a mama comece durante a gestação. Converse com o seu Ginecologista e Obstetra a respeito, para que cuidados como massagens, técnicas de fricção na auréola, no mamilo, que possam dispersar um pouco o tecido da aréola e diminuir a chance de rachaduras assim que o bebê começa a mamar possam ser orientados. 

Um aspecto muito importante a ser salientado é que, já na primeira mamada, lá na sala de parto, na amamentação da primeira hora, a técnica tem que ser adequada. O bebê não consegue tirar leite suficiente mamando no mamilo e o fere rapidamente. A ordenha tem que ser feita na aréola. É importante que haja esse cuidado desde a primeira mamada, já sala de parto e contando com a ajuda do marido, que pode por exemplo fazer esse movimento para a mãe (essa é uma hora boa para o marido participar, na sala de parto). O bebê com um, dois, três dias de vida e que feriu o mamilo da mãe, seguramente foi devido a uma pega inadequada. É preciso que nos primeiros quatro, cinco dias, a mãe faça um movimento com as mãos de pinça, projetando a aréola para frente, para que o bebê abocanhe no lugar certo e na hora que o bebê começa a mamar, a mãe mantenha essa pinça na medida que, ela projetando a aréola para dentro da boca, permite ao bebê uma ordenha adequada, num momento inclusive de menor produção de leite e previna a rachadura no mamilo. 
 

Caso a mãe não produza leite e o bebê seja vegano, o que usar? Existem fórmulas veganas?

Eu considero um equívoco considerar um bebê vegano. Eles não podem ser veganos porque a estratégia vegana de alimentação não atende a necessidade nutricional do bebê. Apesar de existirem fórmulas veganas no exterior (me parece que no Brasil ainda não), eu não recomendo porque, quando se trata de fórmulas para substituir leite materno,  elas estão embasadas em ciência, que é produzida visando aproximar o mais possível do leite materno, ao invés de dar leite de vaca, por exemplo, no primeiro ano de vida e não uma composição fundamentada em 'gosto por determinado leite'.
 

Tive 2 filhos e tive muito leite, até fazia doação no banco de leite, já minha amiga não teve. Por quê?

A produção de leite varia de mulher para mulher. Às vezes dentro da mesma família, por exemplo, é muito comum ter a tradição do aleitamento materno e o contrário também, quando são necessárias complementações porque o leite é insuficiente. Felizmente, para a maioria das mulheres, a quantidade de leite é suficiente para a amamentação, para atender a quantidade nutricional dos bebês.
 

Pode ter leite em uma mama e na outra não?

Pode acontecer de uma mama produzir mais leite do que outra, isso depende da estrutura e da quantidade de glândula mamária em cada mama. Por regra geral, essas diferenças são sutis, não geram grandes problemas. No entanto, uma mama produzir leite e a outra nenhum é muito raro e improvável para a maioria das mulheres.
 

É normal sentir muito enjoo durante a amamentação?

Quando uma mãe que está sentindo enjoos durante a amamentação deve procurar seu médico, fazer uma avaliação do que está acontecendo porque não há expectativas de problemas de saúde vinculados à amamentação. 
 

Amamentar reduz o risco de câncer de mama?

O que a gente espera é que a amamentação traga benefícios para a saúde da mãe, em especial a saúde mamária. Já fica bem clara, por exemplo, na literatura médica, o benefício da proteção da amamentação contra a incidência do câncer de mama.
 

Qual a forma menos prejudicial para desmamar a criança? (Ambos)

Nas situações em que há necessidade específica de se desmamar uma criança, ao mais importante é que não seja um processo abrupto e sim gradual, quem sabe uma mamada por semana. É necessário pensar em uma estratégia, não vale a pena, de repente, da noite para o dia a mãe falar que não vai dar mais o peito. E, faço uma ressalva: é preciso conversar muito com o seu médico, seu ginecologista, seu pediatra, para entender as razões desse desmame, que não deve ser precoce.
 

Por que o bebê tem preferência por um seio?

Isso é corriqueiro. Habitualmente, os bebês preferem mamar do lado esquerdo, existe uma teoria de que isso seria pelo fato dele encostar a cabecinha próximo ao coração da mãe e escutar as batidas, barulho ao qual já estaria acostumado intra útero. Para uma minoria, que realmente dá trabalho para mamar numa determinada mama, a mãe usa estratégias que o pediatra vai indicar. Uma delas, por exemplo é colocar o bebê invertido. Se ele não quer mamar, por exemplo, do lado direito, é só colocar deitado debaixo do braço e ele vai achar que está mamando do lado esquerdo. 




Acompanhe as nossas rede sociais e faça as suas perguntas e fique sabendo sobre os mais diversos assuntos sobre maternidade e amamentação.
 

Publicado em: 16/09/2019

Este conteúdo foi útil pra você? Sim Não
Obrigado pelo feedback. Sua opinião nos ajuda a criar um site melhor a cada dia.

Este post é sobre Maternidade

Termos relacionados amamentação mater dei Instagram

Posts Relacionados

10 Julho 2020

Você já sabe as diferenças entre os...

A Rede Mater Dei de Saúde disponibiliza diferentes tipos de testes para o diagnóstico da Covid-19. Por esse motivo, várias dúvidas têm surgido a respeito de qual teste é o mais adequado, qual é a precisão de cada um e como é realizado cada exame. Confira as...
31 Julho 2020

Aleitamento materno deve ser a...

Em 1º de agosto é celebrado o Dia Mundial da Amamentação, data que lembra a necessidade de amamentação dos recém-nascidos e também a importância da criação de bancos de leite
09 Julho 2020

Doenças respiratórias comuns no...

Com a chegada do inverno cresce a preocupação e os cuidados com as chamadas doenças respiratórias sazonais, que são muito comuns nesta época do ano. O tempo mais frio e seco, com baixos índices de umidade relativa do ar, e a poluição, contribuem para aumentar...