Como ensinar as crianças a ter uma dieta saudável - REDE MATER DEI DE SAÚDE
Cuidados com a Saúde » Qualidade de Vida » Como ensinar as crianças a ter uma dieta saudável

Como ensinar as crianças a ter uma dieta saudável

Ambiente calmo, variedade de alimentos, hábito dos pais e aleitamento materno exclusivo até os seis meses. Essas são as principais dicas do coordenador da Pediatria da Rede Mater Dei de Saúde, Luís Fernando, para os pais ou responsáveis que querem estimular uma dieta saudável aos filhos. 

Com a diversidade de alimentos industrializados cada vez mais presente nas mesas das famílias, convencer as crianças a optar por comidas mais saudáveis pode ser uma tarefa difícil.  De acordo com o médico Luis Fernando, é imprescindível que os pais ou responsáveis mantenham um hábito alimentar saudável para que possam influenciar positivamente os pequenos. Ele acrescenta que para as crianças terem uma dieta equilibrada, elas precisam comer alimentos variados em intervalos regulares e o momento da refeição deve ser feito em local calmo. Uma etapa decisiva é logo depois do nascimento do bebê. “O aleitamento materno exclusivo até os seis meses é um passo fundamental para um bom hábito alimentar no futuro”, explica Luis Fernando. 

A fase inicial
Quando chegar o momento das crianças comerem alimentos sólidos é de extrema importância saber escolher o que oferecer ou não a elas. O médico explica que uma transição alimentar saudável entre o aleitamento materno exclusivo e as primeiras refeições é fundamental para o desenvolvimento do paladar e da aceitação de novos alimentos pela criança. Alimentos com excesso de açúcar e sal, por exemplo, aumentam a possibilidade de doenças como diabetes, hipertensão, obesidade, dentre outras, na idade adulta. E, por isso, é melhor evitá-los. 

De acordo com o pediatra, os primeiros alimentos sólidos da criança, a partir dos seis meses, devem ser as frutas, sejam em papinhas ou em sucos e as verduras e legumes, cozidos e amassados juntamente com a carne. O médico faz um alerta de que a introdução de alimentos sólidos não descarta a necessidade da ingestão de leite. “O leite é fundamental nessa fase para garantir a quantidade adequada de cálcio e proteína. Até os dois anos de idade é primordial que, associado aos outros alimentos, a criança ainda tenha acesso ao leite materno. Se isso não for possível, os pais devem optar por fórmulas lácteas adequadas para cada idade”, explica Luiz Fernando. Para o pediatra, as crianças maiores, já habituadas com uma alimentação saudável, devem ser orientadas ao consumo adequado dos lanches da escola e o tipo de alimento a consumir. 

Na escola
O ingresso da criança numa escola infantil é um momento crítico da alimentação, por começarem a conviver com uma variedade de alimentos, muitas vezes, nem um pouco saudáveis. Por isso, a preocupação não deve ser apenas com a qualidade de ensino oferecida pela instituição, é importante que eles conheçam os alimentos que serão oferecidos. Atualmente, a maioria das instituições se preocupa em oferecer alimentos saudáveis e restringe as guloseimas, frituras e refrigerantes nas cantinas. Porém, o pediatra do Mater Dei, Luis Fernando acredita que “as crianças mais novas devem sempre levar o lanche de casa, contendo alimentos saudáveis dos quais a criança goste e esteja acostumada a consumir no dia a dia”. 

Em casa
Para que cuida de crianças em diferentes idades, a dúvida sobre o cardápio é frequente. No entanto, o especialista afirma que a preocupação só é necessária se uma das crianças tiver menos de um ano. “Para a criança até um ano de idade o cardápio será diferente, com restrição ao leite de vaca e seus derivados, com alimentos sólidos amassados e deve ser orientado pelo medico. Após essa idade, a criança deve comer os mesmos alimentos disponibilizados para a família, mas sempre evitando guloseimas, refrigerantes, frituras e etc.”, explica o médico. 

Ensinar a criança a comer alimentos saudáveis, como foi falado, é uma tarefa que começa dentro de casa e o mais cedo possível. Assim, a chance dela se tornar um adulto que opte por uma dieta balanceada é maior. Oferecer sempre alimentos diferentes e coloridos para que a criança se habitue com a aparência e sabor é uma ótima dica.  Além disso, o pediatra Luis Fernando chama atenção para o fato de que “mesmo se a criança recusar algum alimento específico, esse deverá continuar sendo oferecido de maneiras diferentes até que ela se acostume com o gosto e passe a aceitá-lo de bom grado. Fazer da hora da refeição um momento alegre, descontraído e tranquilo é a melhor maneira de atrair os pequenos e fazê-los gostar de uma alimentação saudável”.


RESPONSÁVEL:
Luis Fernando Andrade de Carvalho
Coordenador da Pediatria da Rede Mater Dei de Saúde
CRM-MG: 34155


Publicado em: 02/09/2016

Este conteúdo foi útil pra você? Sim Não
Obrigado pelo feedback. Sua opinião nos ajuda a criar um site melhor a cada dia.

Este post é sobre Boa forma

Posts Relacionados

18 Dezembro 2018

Médico da Rede lança livro

O ortopedista e traumatologista do Mater Dei Francisco Carlos Salles Nogueira, é um dos editores e autores do livro “Fraturas em Crianças e Adolescentes – Fundamentos e Práticas”. O livro é referência para os ortopedistas pediátricos de todo o Brasil.
05 Agosto 2016

Amamentação: futuro sustentável

Dados da Maternidade da Rede Mater Dei de Saúde apontam quase 70% dos bebês sendo amamentados (AME) aos 30 dias de vida em 2016, de acordo com a análise do Serviço de Neonatologia da Rede.
12 Junho 2018

Você sabia? Crianças também têm...

As consequências da cardiopatia congênita são diversas e heterogêneas, dependem do tipo de má formação. Quando não é corrigida, pode evoluir para dilatação e fraqueza do coração, arritmias cardíacas e problemas pulmonares irreversíveis.